FACES DO ISLÃ

Extrangeiros, OI

Eu sempre venho trazer notícias boas, ou pelo menos alegres, enfim… Mas hoje vi umas fotos que me fizeram ter vontade de compartilhar o outro lado de uma cultura com vocês. São imaens fortes, portanto quem não quiser ver, não continue a ler o post. Eu peço que vocês me deem um feedback com relação ao post. Facebook

Esse tema de diferenças culturais sempre me fascinou. Profundamente. Eu sou completamente apaixonada por culturas e sou defensora das diferentes culturas. No entanto, outro tema que sempre me intrigou é essa questão dos direitos das mulheres, sobretudo, em muitos países do oriente (estou falando da questão física mais severa). Aí, encontrei essa reportagem, dentre tantas outras, e achei importante dividi-las com vocês e saber o que vocês pensam sobre isso.

Por quê? Porque o fato de as mulheres terem que usar burca (entre tantas outras regras) é uma diferença cultural. E existem muitas. Como, por exemplo, não poder votar. Parece algo muito complexo pra nós, de culturas aonde isso não é nem mais aceitável, mas para algumas culturas, isso é simplesmente o ciclo natural da vida. Mas… é assim mesmo?

E quanto à violência doméstica? E quanto à ação de ácidos no rosto dessas mulheres? Será que tudo isso é apenas diferença cultural? Ou é crime?

E vocês podem se revoltar o tanto que quiserem. Como eu faço. Vocês podem me xingar e dizer que isso é uma atrocidade, que é inaceitável. E, no entanto, ainda é prática em algumas culturas.

O título é Faces do Islã. A parte que contém texto é curtinha. Mas são muitas fotos fortes. São pessoas com o rosto deformado por ação de ácido. Aviso, mais uma vez, quem não quiser ou não puder ver essas fotos, não leia o restante do post. Fonte

Faces do Islam1.jpg Saira Liaqat, 26 anos, tem um retrato de si mesma antes de ser queimada, quando ela tinha 15 anos. Saira foi queimada com ácido por um parente que insistia em viver com ela. Saira foi submetida a 9 cirurgias plásticas.

Essas meninas e mulheres do Paquistão tiveram suas vidas arruinadas. Algumas delas tiveram que se submeter a 20 ou 30 cirurgias para voltarem a enxergar, respirar melhor ou até mesmo para que pudessem comer.

Os principais motivos são porque elas ousaram rejeitar algum casamento ou porque queriam o divórcio. Infelizmente, em muitos lugares a mulher continua sendo tratada como um ser de última categoria e qualquer tentativa de mudar este comportamento pode levar a conseqüências muito tristes.

Faces do Islam2.jpg Naila Farhat, 19 anos, foi queimada com ácido jogado por um menino a quem ela rejeitou o casamento. Passou por inúmeras cirurgias plásticas.

Desde 1994 quando foi criada a “Associação de Mulheres Progressistas” (PWA) para ajudar as vítimas, foram documentados 7.800 casos em que as mulheres foram deliberadamente queimadas, escaldadas com água fervendo ou encharcadas com ácido. Apenas em 2% desses casos alguém recebeu punição. Seus atacantes, geralmente maridos ou pretendentes, raramente são julgados ou presos.

É triste dizer isso mas algumas delas têm a aparência monstruosa porque era essa a intenção de seus atacantes. Se eles não pudessem tê-las nenhum outro homem as teriam. O que eles realmente pretendiam era tornar estas mulheres repugnantes para a sociedade, sentenciando-as a cirurgias dolorosas, auto-aversão e para algumas delas uma vida de completo isolamento.

Faces do Islam3.jpg Zainab Bibi, 17 anos, foi queimada com ácido jogado por um menino a quem ela rejeitou o casamento. Ela perdeu as contas de quantas cirurgias plásticas já se submeteu para tentar amenizar as cicatrizes.

Faces do Islam4.jpg Shahnaz Bibi, 35 anos, foi queimada com ácido aos 25 anos por um parente também devido a uma disputa familiar. Ela nunca passou por cirurgia plástica.

Faces do Islam5.jpg Munira Asef, 23 anos, foi queimada com ácido por um rapaz a quem ela rejeitou o casamento. Ela passou por 7 cirurgias plásticas.

Faces do Islam6.jpg Bushra Shari, 39 anos, foi queimada com ácido jogado por seu marido há cinco anos, porque ela estava tentando se divorciar dele. Ela passou por 25 cirurgias plásticas.

Faces do Islam7.jpg Najaf Sultana, 16 anos, foi queimada pelo seu pai, enquanto estava dormindo, quando tinha apenas 5 anos, simplesmente porque ele não queria ter uma outra menina na família. Najaf ficou cega e depois de ser abandonada pelos pais passou a morar com parentes. Ela passou por 15 cirurgias plásticas.

Faces do Islam8.jpg Irum Saeed, 30 anos, teve o rosto, costas e ombros queimados com ácido por um rapaz a quem ela rejeitou o casamento. Ela passou por 25 cirurgias plásticas.

Faces do Islam9.jpg Shehnaz Usman, 36 anos, foi queimada com ácido por um parente devido a uma disputa familiar. Shehnaz passou por 10 cirurgias plásticas.

Faces do Islam10.jpg Shameem Akhter, 18 anos, foi estuprada por três rapazes que depois jogaram ácido sobre ela. Shameem passou por 10 cirurgias plásticas.

Faces do Islam11.jpg Memuna Khan, 21 anos, foi queimada por um grupo de meninos que jogaram ácido sobre ela para resolver uma disputa entre as duas famílias. Ela passou por 21 cirurgias plásticas.

Faces do Islam12.jpg Kanwal Kayum, 26 anos, foi queimada com ácido por um rapaz a quem ela rejeitou o casamento. Ela nunca passou por cirurgia plástica.
Fonte: Obvious

Depois dessas fotos eu quero saber a opinião de vocês quanto à isso. É cultura? E, se sim, deve continuar a fazer parte da cultura?

E outra pergunta ainda mais difícil de ser respondida: Até que ponto os direitos humanos devem intervir para evitar qualquer ato que faça parte de uma cultura?

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s