Vai viajar para os Estados Unidos? LIGUE o celular

É isso mesmo extrangeiros, a partir de agora quem for viajar para os Estados Unidos pode ter que comprovar que o celular é mesmo um aparelho usado para ligações e não é um detonador, uma bomba ou qualquer outra coisa. Para isso, ele precisará ter bateria e você precisará poder ligá-lo!

Levei um susto quando li a reportagem, porque invariavelmente meu celular está sem bateria!! E levar o carregador na bagagem de mão implica em que eles podem (não aconteceu comigo em viagens recentes, mas se está sujeito) tirá-lo porque há toda uma preocpação com relação ao fio (perigo de enforcamento)!

Ainda não encontrei ninguém que tenha ido depois que essa medida foi sugerida, então não posso dizer como está funcionando. Mas o que preocupa o país (EUA) são os aparatos que aparentam ser um objetivo já conhecido, mas na realidade são bombas! Na reportagem, eles afirmam que vão aumentar a segurança (o que significa aumentar os procedimentos de revisão no embarque). Então: cuidado redobrado nos aparelhos que vocês levam na mala! Tablets e dispositivos eletrônicos em geral precisam ligar se eles pedirem comprovação!

Por via das dúvidas viajantes, é melhor carregar o celular antes de embarcar!

Fonte

Um lado da imagem do Brasil no exterior

Extrangeiros, OI!

Como estão? Saudade de vir aqui e postar… Não pensem que eu esqueci do blog não… Eu só estou bastante cheia de novidades (e outras nem tanto) pra acompanhar, que acabei não conseguindo vir. Mas continuo preparando postagens! Fiz alguns vídeos.. Um deles inclusive feito por um casal de amigos meus (ela mexicana, ele espanhol) sobre uma bebida típica daqui. Que tal? Vou editar o vídeo e trago pra vocês ainda essa semana, o que acham?

Mas hoje vim trazer as informações de uma reportagem bem importante que eu li. A revista Exame publicou um texto informativo sobre o que as autoridades de outros países escrevem sobre o Brasil para sua população Ou seja, conselhos que as autoridades da França, por exemplo, dão a sua população quando querem visitar o Brasil. O título é: “Cuidado com amigos no Brasil, aconselha França a cidadãos” é bem forte, bem como a matéria. Continuar lendo

Americano cria lista de motivos pelos quais odiou ter morado no Brasil

Extrangeiros, OI
Achei esse texto e decidi compartilhá-lo com vocês… O que você acharam dele?
americano

Um americano, casado com uma brasileira, morou em São Paulo por 3 anos. Depois dessa árdua experiência, ele voltou para sua terra natal e fez questão de criar uma lista de 20 motivos pelos quais odeia viver no Brasil. Um fórum gringo resolveu continuar essa lista e trouxe mais itens que os gringos odeiam no país. Confira:

1. Os brasileiros não têm consideração com as pessoas fora do seu círculo de amizades e muitas vezes são simplesmente rudes. Por exemplo, um vizinho que toca música alta durante toda a noite… E mesmo se você vá pedir-lhe educadamente para abaixar o volume, ele diz-lhe para você “ir se fud**”. E educação básica? Um simples “desculpe-me “, quando alguém esbarra com tudo em você na rua simplesmente não existe.

2. Os brasileiros são agressivos e oportunistas, e, geralmente, à custa de outras pessoas. É como um “instinto de sobrevivência” em alta velocidade, o tempo todo. O melhor exemplo é o transporte público. Se eles vêem uma maneira de passar por você e furar a fila, eles o farão, mesmo que isso signifique quase matá-lo, e mesmo se eles não estiverem com pressa. Então, por que eles fazem isso? É só porque eles podem, porque eles vêem a oportunidade, por que eles querem ganhar vantagem em tudo. Eles sentem que precisam sempre de tomar tudo o que podem, sempre que possível, independentemente de quem é prejudicado como resultado.

3. Os brasileiros não têm respeito por seu ambiente. Eles despejam grandes cargas de lixo em qualquer lugar e em todos os lugares, e o lixo é inacreditável. As ruas são muito sujas. Os recursos naturais abundantes, como são, estão sendo desperdiçados em uma velocidade surpreendente, com pouco ou nenhum recurso.

4. Brasileiros toleram uma quantidade incrível de corrupção nos negócios e governo. Enquanto todos os governos têm funcionários corruptos, é mais comum e desenfreado no Brasil do que na maioria dos outros países, e ainda assim a população continua a reeleger as mesmas pessoas.

5. As mulheres brasileiras são excessivamente obcecadas com seus corpos e são muito críticas (e competitivas com) as outras. Continuar lendo

Meios de pagamento no exterior

Oi extrangeiros lindos!

Bem, é certo que muitos de vocês já leram o post que fiz sobre o aumento do IOF, mas para quem não leu, lá vai um pequeno resumo: o post foi meramente para informar que compras, saques, uso de cartões pré pagos e travellers check no exterior agora são tarifados pela alíquota de 6,38%. A única exceção, cuja alíquota permanece em 0,38%, é se a troca acontecer em espécie, dentro do Brasil, em casas de câmbio. Aí o jeito é realmente levar o dinheiro em espécie e não em cartões (lembrando que os famosos VTM também sofrem com o aumento, já que são cartões pré pagos). Para ler o post completo e entender um pouco dessa mudança, clique aqui.

Bem, explicada a situação, acho interessante sugerir formas de se levar dinheiro. Vamos lá!

Dinheiro em espécie: Se trocado em casas de câmbio, no Brasil, em dinheiro vivo, espécie, a alíquota permanece 0,38%.
+ A alíquota! A diferença é de 6%, o que é um valor bem elevado quando se troca muito dinheiro. Pagando no Brasil, você economiza esses 6% para fazer compras no exterior.
Lado negativo: é relativamente perigoso levar muito dinheiro em espécie.

Cartões de crédito: A tarifa permanece 6,38%.
+ Milhas. Um ponto positivo é o acúmulo de pontos no cartão para trocar por milhas ou reservas de carro, diárias em hoteis e até mesmo algumas lojas de produtos e serviços.
O lado ruim é o de sempre, a variação cambial, a gente nunca sabe qual vai ser a cotação da moeda (dólar, euro, etc) no momento do fechamento da fatura seguinte.

Cartões pré pago: Alíquota de 6,38%.
+ O ponto positivo de levar cartão pré pago (Aquele internacional, dos bancos, e também o Visa Travel Money, de agências de viagem) é que você sabe o valor que vais pagar de tarifa no momento em que carrega o cartão. Não vai ter surpresinhas de variações cambiais.
O lago negativo, agora, depois desse aumento do IOF, é realmente a aíiquota. De 0,38% à 6,38%.

Traveller cheque: Ou check, enfim. Alíquota de 6,38%.
+ É uma garantia que você tem, de levar escondido na pochete ou guardar no cofre do hotel, enfim, pode ser levado como medida de segurança.
Você fica sujeito à duas tarifas (quando compra o cheque e quando o troca no país que pretende visitar).

A minha opinião é a seguinte: Se houver possibilidade de levar dinheiro em espécie, eu prefiro essa opção. É claro que vai depender do país ou local para o qual você vai. Não é preconceito, é a realidade. Tem alguns lugares aonde é simplesmente muito arriscado levar dinheiro em espécie e pronto. Em outros, já sabemos que é aceitável. E é bom lembrar que existem muitos hoteis que possuem crofes. Até mesmo hostels tem os lockers, que são os armários (que podem ser cadeados), aonde você pode deixar dinheiro (se quiser arriscar!).

Caso você prefira levar um pouco de dinheiro em algum cartão, eu sugiro o pré pago. Porque a não ser que você seja muito bom em economia e esteja por dentro das mudanças na economia mundial, é bastante difícil ter absoluta certeza que a moeda vai estar com valor mais baixo no fechamento da fatura seguinte, que é quando você pagaria os gastos com o cartão de crédito. Com o pré pago a tarifa é a mesma, 6,38%, no entanto, você sabe qual o valor da moeda estrangeira no momento da compra e não vai ter surpresinhas extras no mês seguinte.

Os traveller cheques são a minha opção menos favorita. Só vou utilizá-los quando for realmente indispensável ou não houver outra opção. Não gosto deles, porque você fica sujeito à duas variações de moeda, à do dia da troca, ou a compra dos cheques e à do dia da compra no país que vai visitar. E, geralmente, fora do Brasil o real custa muito, portanto a minha opinião é que você não leve esses cheques.

Não esqueçam de curtir a página do blog no face! Sempre divulgo as postagens por lá e você pode ficar informado de tudo! 🙂

Espero ter ajudado alguém! 🙂
Até a próxima, viajantes!

Sugestão de post

Home banking

Oi extrangeiros!

Bem, eu já havia mencionado em algum dos posts anteriores, que vou fazer outro intercâmbio. Sim, vou começar meu sexto intercâmbio no fim de Janeiro… Mais adiante vou contarpra vocês aonde é e um pouco sobre como está sendo essa experiência de pré viagem! Até hoje, a mais conturbada de todas!!

Mas bem, vamos ao que interessa…

Vim trazer pra vocês um assunto bastante interessante e relativamente novo, que é bastante válido para quem vai fazer intercâmbio ou qualquer outro tipo de viagem: home banking.

Também chamado de “banco online” é a possibilidade de realizar transações financeiras, como pagamentos, acesso a extrato, transferências e outros, pela internet. Isso é vantagem porque te permite acessar a tua conta no banco a qualquer hora, mesmo que fora dos horários de funcionamento do banco, e de qualquer lugar, contanto que tu tenhas um computador e internet.

Para quem vai viajar para o exterior essa opção é especialmente importante. Porque quando a gente acessa um caixa eletrônico aqui no Brasil, ele nos permite fazer uma série de operações como as já citadas acima. Incluive tirar o extrato da conta (que se torna muito mais importante quando estamos fora do Brasil). No exterior, a maioria dos caixas eletrônicos não tem essa opção. Essas transações financeiras são mais complexas e bem mais demoradas. Além disso, alguns bancos 24 horas nem te mostram o teu saldo! Então é bastante mais prático ter acesso de um note ou mesmo de celulares e tablets.

Para saber como acessar de um note a sua conta do banco, acesse o link Home Banking. É bem simples e rápido! E vale muito a pena fazer isso antes de viajar.

Não esqueça de curtir o blog No extrangeiro no facebook!

Até a próxima! 🙂

Aumento IOF para brasileiros para saques e compras no exterior

É isso aí! Sei que essa não é uma notícia muito boa, mas é bom estar informado antes de viajar ou mesmo repensar a tão sonhada viagem para esse ano.

A verdade é: está tudo mais caro. Deve-se levar em conta que, especialmente nesse ano de 2014, os preços das passagens estão bastante mais caras com relação ao ano passado e anos anteriores. Isso acontece por muitas razões, mas vou citar duas delas. A primeira é que faz cerca de 10 anos que vem havendo queda nos valores das passagens e viajar para o exterior tem se tornado relativamente barato (essa queda tem baixado pelo mundo inteiro e não somente no Brasil). No entanto, chegou a hora de estabilizar esse valor. E isso está ocorrendo justamente em ano de Copa aqui no Brasil (coincidência nunca é…).

E essa é justamente a segunda razão. Viajar para fora do país, especialmente, está bastante caro para nós brasileiros nesse 2014. Além de o dólar ter seu valor subindo bastante (e ao que tudo indica vai continuar assim até pelo menos o fim do ano!), é hora de manter os brasileiros aqui. É bem nesses termos mesmo. Porque se os valores diminuírem muito, muitos brasileiros vão pegar suas asinhas e viajar na época da Copa. O que não é exatamente bom pra nossa economia. Principalmente porque isso não melhora em nada duas das principais preocupações do governo nessa época: o trânsito e a violência. Os turistas que saíriam seriam pessoas com um pouco mais de poder aquisitivo e o número de brasileiros não seria grande o suficiente para amenizar os engarrafamentos. No entanto, esses brasileiros turistas, gastariam dinheiro no exterior, e não aqui.

Bem, mas voltando ao assunto IOF. Sim, Imposto de Operações Financeiras, o tão temido IOF, a tão temida taxa que pagamos no exterior pelas compras que fazemos, está subindo. E muito, diga-se de passagem. Para transações realizadas a crédito no exterior, o IOF era de 6,38%, e permanecerá assim. Mas era por conta desse valor tão elevado que, quando nós viajamos, acabavamos comprando na opção débito ou realizávamos saque (utilizávamos aqueles Visa Travel Money, cartões pré pagos, ou os traveller checks). Certo? Porque o valor para transações no débito e para saques era de apenar (hoje, eu digo apenas) 0,38%.

Bem, esse valor subiu para, nada menos, que 6,38%, o mesmo valor para transações no crédito. Um absurdo, não é? Está simplesmente insustentável viajar nessa época. E a medida foi emergencial (anunciada no Ministério da Fazenda hoje!) e rápida: entrará em vigor a partir de amanhã!

O que facilitava a nossa vida de turista/ estudante/ trabalhador/ mochileiro, enfim, de viajante, era o VTM, que é o famoso cartão pré pago e que por isso tinha alíquota de 0,38%. Pois é, agora essa taxa aumentou também! Não adianta ir correndo pegar VTM achando que vai ficar na tarifa antiga. É cartão pré pago? Alíquota de 6,38%. E aviso: os travellers check ficaram condicionados à mesma alíquota de 6,38%. Tá brabo o caso agora, né?

Quem, ainda assim, pretende viajar, ou tem uma viagem já marcada, como eu (conto pra vocês no próximo post) e não quer ou não pode desmarcar, pelo menos vá ciente dessa alíquota de 6,38%. Tanto para levar uma reserva, quanto para gastar menos, se for o caso.

Ah, só tem um detalhe… Quem quiser trocar moedas em casas de câmbio dentro do Brasil, e espécie, pagará a a alíquota antiga de 0,38%.

Curta a página de No extrangeiro no facebook!

Nota a Imprensa – 27 12 2013 Fonte Fonte Extra