Manicure – Guadalajara

Oi people!

Como estão? Bem, seguinte, hoje fazendo as unhas dei por falta de uns esmaltes que eu gosto. Tá, não são Dior, Channel, não são esmaltes caros, são esmaltes bem simples, Risqué, Colorama, enfim esses que a gente usa mais comumente aí no Brasil (e pra quem me conhece sabe que eu gosto das unhas sempre pintadas!).

Vou falar que não sou chata quando viajo, com quase tudo me adapto super bem, roupas, acessórios, comida, lugares, enfim, é realmente fácil eu me adaptar com as coisas fora de casa. Mas na questão do esmalte, eu senti uma certa estranheza nos que tem aqui pra vender. E de novo, afirmo que estou falando de esmaltes simples… Com preço parecido com os preços do Brasil..

A verdade é que os esmaltes não tem a mesma qualidade, não adianta. Eles deixam a unha amarelada e percebi que a enfraquecem um pouco as unhas. Dura bastante, mas não fica a mesma coisa, não parece da mesma qualidade quando com as unhas pintadas.

IMG_8851
Esmaltes que comprei aqui em Guadalajara

 

Além do que não encontrei a Renda, para fazer francesinha, igual no Brasil. É uma cor diferente um pouco, não achei que ficam tão bonitas as unhas com essas colorações.

IMG_8852

Tipo, é fácil encontrar esmaltes e acessórios de toodos os tipos em lojas de beleza, que contém de tudo um pouco pras unhas, corpo, rosto, enfim. Para quem está em Guadalajara, há um moonte dessas lojas na avenida Hidalgo, na Juárez, todas em direção ao Centro, como quem está indo pra Catedral, e inclusive por lá, pelo centro mesmo, é possível encontrar muuuitas dessas lojas. Ou seja, variedade tem.

E vejam bem, não estou falando que é ruim. Estou falando que pra mim não funcionou. A minha percepção é de que no Brasil a qualidade dos esmaltes é melhor. Ah, um detalhe, também prefiro os alicates de unhas que a gente tem no Brasil. Mesmo os mais simples acho melhores. Mas, de novo, isso é questão de gosto!

Se alguém tiver alguma visão diferente ou dicas por favor compartilha com os leitores, aqui embaixo! Afinal, eu divido a minha experiência com vocês, mas tem um milhão de pessoas que tem visões diferentes e que podem ter dicas e conhecer bem mais que eu em alguns assuntos, então… Por favor, não se sintam acanhados e compartilhem com a gente! 😀 Seja aqui no blog, ou pela página do blog no noExtrangeiro Facebook. Como quiserem! 🙂

Ah, vou deixar uma Dica aqui pra quem tiver tido problemas, como eu, para encontrar uma acetona de qualidade aqui. Achei umas que não tiram o esmalte e inclusive deixam a unha bem desidratada (isso existe? Bem, a aparência é de desidratação).

IMG_8849
Melhor acetona, tira esmalte vermelho que é uma maravilha!

De novo, pra quem estiver em Guadalajara, é possível comprar essa acetona Princel nas farmácias daqui, achei na Farmácia Guadalajara. Não é cara e tem um cheirinho delicioso. Achei que, e pode parecer besteira, mas deixa a ponta dos dedos hidratadinha.

Bem, falando de unhas ainda, vou dizer pra vocês que depois que usei o “amaciante (ou amaciador?) de cutículas” ONSEN eu nunca mais quis nenhum!

IMG_8854

Porque eu não costumo tirar cutícula sem esse “softner”, eu passo ele, faço uma massaginha rapidinha em todas as unhas, empurro e depois tiro só o excesso com muuita facilidade com o alicate. Eu recomendo! Inclusive porque vocês podem comprar online ONSEN. É caro, mas dura e é bom mesmo.

Como eu falei, não sou muito chata pras coisas, MAS tem certos detalhes que eu gosto de manter o que está funcionando.. Sabe aquele ditado: “Em time que está ganhando não se mexe”? Pois é, bem nessas.

Bem, acho que por agora é só! Até mais extrangeiros! 🙂

Anúncios

FACES DO ISLÃ

Extrangeiros, OI

Eu sempre venho trazer notícias boas, ou pelo menos alegres, enfim… Mas hoje vi umas fotos que me fizeram ter vontade de compartilhar o outro lado de uma cultura com vocês. São imaens fortes, portanto quem não quiser ver, não continue a ler o post. Eu peço que vocês me deem um feedback com relação ao post. Facebook

Esse tema de diferenças culturais sempre me fascinou. Profundamente. Eu sou completamente apaixonada por culturas e sou defensora das diferentes culturas. No entanto, outro tema que sempre me intrigou é essa questão dos direitos das mulheres, sobretudo, em muitos países do oriente (estou falando da questão física mais severa). Aí, encontrei essa reportagem, dentre tantas outras, e achei importante dividi-las com vocês e saber o que vocês pensam sobre isso.

Por quê? Porque o fato de as mulheres terem que usar burca (entre tantas outras regras) é uma diferença cultural. E existem muitas. Como, por exemplo, não poder votar. Parece algo muito complexo pra nós, de culturas aonde isso não é nem mais aceitável, mas para algumas culturas, isso é simplesmente o ciclo natural da vida. Mas… é assim mesmo?

E quanto à violência doméstica? E quanto à ação de ácidos no rosto dessas mulheres? Será que tudo isso é apenas diferença cultural? Ou é crime?

E vocês podem se revoltar o tanto que quiserem. Como eu faço. Vocês podem me xingar e dizer que isso é uma atrocidade, que é inaceitável. E, no entanto, ainda é prática em algumas culturas.

O título é Faces do Islã. A parte que contém texto é curtinha. Mas são muitas fotos fortes. São pessoas com o rosto deformado por ação de ácido. Aviso, mais uma vez, quem não quiser ou não puder ver essas fotos, não leia o restante do post. Fonte

Continuar lendo FACES DO ISLÃ

Meios de pagamento no exterior

Oi extrangeiros lindos!

Bem, é certo que muitos de vocês já leram o post que fiz sobre o aumento do IOF, mas para quem não leu, lá vai um pequeno resumo: o post foi meramente para informar que compras, saques, uso de cartões pré pagos e travellers check no exterior agora são tarifados pela alíquota de 6,38%. A única exceção, cuja alíquota permanece em 0,38%, é se a troca acontecer em espécie, dentro do Brasil, em casas de câmbio. Aí o jeito é realmente levar o dinheiro em espécie e não em cartões (lembrando que os famosos VTM também sofrem com o aumento, já que são cartões pré pagos). Para ler o post completo e entender um pouco dessa mudança, clique aqui.

Bem, explicada a situação, acho interessante sugerir formas de se levar dinheiro. Vamos lá!

Dinheiro em espécie: Se trocado em casas de câmbio, no Brasil, em dinheiro vivo, espécie, a alíquota permanece 0,38%.
+ A alíquota! A diferença é de 6%, o que é um valor bem elevado quando se troca muito dinheiro. Pagando no Brasil, você economiza esses 6% para fazer compras no exterior.
Lado negativo: é relativamente perigoso levar muito dinheiro em espécie.

Cartões de crédito: A tarifa permanece 6,38%.
+ Milhas. Um ponto positivo é o acúmulo de pontos no cartão para trocar por milhas ou reservas de carro, diárias em hoteis e até mesmo algumas lojas de produtos e serviços.
O lado ruim é o de sempre, a variação cambial, a gente nunca sabe qual vai ser a cotação da moeda (dólar, euro, etc) no momento do fechamento da fatura seguinte.

Cartões pré pago: Alíquota de 6,38%.
+ O ponto positivo de levar cartão pré pago (Aquele internacional, dos bancos, e também o Visa Travel Money, de agências de viagem) é que você sabe o valor que vais pagar de tarifa no momento em que carrega o cartão. Não vai ter surpresinhas de variações cambiais.
O lago negativo, agora, depois desse aumento do IOF, é realmente a aíiquota. De 0,38% à 6,38%.

Traveller cheque: Ou check, enfim. Alíquota de 6,38%.
+ É uma garantia que você tem, de levar escondido na pochete ou guardar no cofre do hotel, enfim, pode ser levado como medida de segurança.
Você fica sujeito à duas tarifas (quando compra o cheque e quando o troca no país que pretende visitar).

A minha opinião é a seguinte: Se houver possibilidade de levar dinheiro em espécie, eu prefiro essa opção. É claro que vai depender do país ou local para o qual você vai. Não é preconceito, é a realidade. Tem alguns lugares aonde é simplesmente muito arriscado levar dinheiro em espécie e pronto. Em outros, já sabemos que é aceitável. E é bom lembrar que existem muitos hoteis que possuem crofes. Até mesmo hostels tem os lockers, que são os armários (que podem ser cadeados), aonde você pode deixar dinheiro (se quiser arriscar!).

Caso você prefira levar um pouco de dinheiro em algum cartão, eu sugiro o pré pago. Porque a não ser que você seja muito bom em economia e esteja por dentro das mudanças na economia mundial, é bastante difícil ter absoluta certeza que a moeda vai estar com valor mais baixo no fechamento da fatura seguinte, que é quando você pagaria os gastos com o cartão de crédito. Com o pré pago a tarifa é a mesma, 6,38%, no entanto, você sabe qual o valor da moeda estrangeira no momento da compra e não vai ter surpresinhas extras no mês seguinte.

Os traveller cheques são a minha opção menos favorita. Só vou utilizá-los quando for realmente indispensável ou não houver outra opção. Não gosto deles, porque você fica sujeito à duas variações de moeda, à do dia da troca, ou a compra dos cheques e à do dia da compra no país que vai visitar. E, geralmente, fora do Brasil o real custa muito, portanto a minha opinião é que você não leve esses cheques.

Não esqueçam de curtir a página do blog no face! Sempre divulgo as postagens por lá e você pode ficar informado de tudo! 🙂

Espero ter ajudado alguém! 🙂
Até a próxima, viajantes!

Sugestão de post

Aumento IOF para brasileiros para saques e compras no exterior

É isso aí! Sei que essa não é uma notícia muito boa, mas é bom estar informado antes de viajar ou mesmo repensar a tão sonhada viagem para esse ano.

A verdade é: está tudo mais caro. Deve-se levar em conta que, especialmente nesse ano de 2014, os preços das passagens estão bastante mais caras com relação ao ano passado e anos anteriores. Isso acontece por muitas razões, mas vou citar duas delas. A primeira é que faz cerca de 10 anos que vem havendo queda nos valores das passagens e viajar para o exterior tem se tornado relativamente barato (essa queda tem baixado pelo mundo inteiro e não somente no Brasil). No entanto, chegou a hora de estabilizar esse valor. E isso está ocorrendo justamente em ano de Copa aqui no Brasil (coincidência nunca é…).

E essa é justamente a segunda razão. Viajar para fora do país, especialmente, está bastante caro para nós brasileiros nesse 2014. Além de o dólar ter seu valor subindo bastante (e ao que tudo indica vai continuar assim até pelo menos o fim do ano!), é hora de manter os brasileiros aqui. É bem nesses termos mesmo. Porque se os valores diminuírem muito, muitos brasileiros vão pegar suas asinhas e viajar na época da Copa. O que não é exatamente bom pra nossa economia. Principalmente porque isso não melhora em nada duas das principais preocupações do governo nessa época: o trânsito e a violência. Os turistas que saíriam seriam pessoas com um pouco mais de poder aquisitivo e o número de brasileiros não seria grande o suficiente para amenizar os engarrafamentos. No entanto, esses brasileiros turistas, gastariam dinheiro no exterior, e não aqui.

Bem, mas voltando ao assunto IOF. Sim, Imposto de Operações Financeiras, o tão temido IOF, a tão temida taxa que pagamos no exterior pelas compras que fazemos, está subindo. E muito, diga-se de passagem. Para transações realizadas a crédito no exterior, o IOF era de 6,38%, e permanecerá assim. Mas era por conta desse valor tão elevado que, quando nós viajamos, acabavamos comprando na opção débito ou realizávamos saque (utilizávamos aqueles Visa Travel Money, cartões pré pagos, ou os traveller checks). Certo? Porque o valor para transações no débito e para saques era de apenar (hoje, eu digo apenas) 0,38%.

Bem, esse valor subiu para, nada menos, que 6,38%, o mesmo valor para transações no crédito. Um absurdo, não é? Está simplesmente insustentável viajar nessa época. E a medida foi emergencial (anunciada no Ministério da Fazenda hoje!) e rápida: entrará em vigor a partir de amanhã!

O que facilitava a nossa vida de turista/ estudante/ trabalhador/ mochileiro, enfim, de viajante, era o VTM, que é o famoso cartão pré pago e que por isso tinha alíquota de 0,38%. Pois é, agora essa taxa aumentou também! Não adianta ir correndo pegar VTM achando que vai ficar na tarifa antiga. É cartão pré pago? Alíquota de 6,38%. E aviso: os travellers check ficaram condicionados à mesma alíquota de 6,38%. Tá brabo o caso agora, né?

Quem, ainda assim, pretende viajar, ou tem uma viagem já marcada, como eu (conto pra vocês no próximo post) e não quer ou não pode desmarcar, pelo menos vá ciente dessa alíquota de 6,38%. Tanto para levar uma reserva, quanto para gastar menos, se for o caso.

Ah, só tem um detalhe… Quem quiser trocar moedas em casas de câmbio dentro do Brasil, e espécie, pagará a a alíquota antiga de 0,38%.

Curta a página de No extrangeiro no facebook!

Nota a Imprensa – 27 12 2013 Fonte Fonte Extra

O mundo em 80 drinks

Conhecimento nunca é demais! hahahaha

aLK1oo6_700b

 

Só vou dizer uma coisa… Esse negócio de Caipirinha com vodca não me agrada. Caipirinha mesmo é com cachaça, feita em alambique e armazenada em pipas. Aí sim, a caipirinha fica de primeira!

 

Fonte

Aeroportos: um teste à sua vontade de viajar!

Ah!!!!!

Tem momentos em que tudo que a gente quer é chegar logo no destino e não ter que enfrentar todos esses imprevistos dos quais os aeroportos estão cheios!

E quando tem Wifi, mas é paga? CALÚNIA! A gente já paga taxas sobre taxas de aeroportos e ainda tem que pagar internet??

Aeroportos: um teste à sua vontade de viajar!

13. The feeling of intense shame as all of your bits are patted down by a complete stranger.

http://www.buzzfeed.com/erinlarosa/airport-moments-that-will-test-your-will-to-live
http://www.buzzfeed.com/erinlarosa/airport-moments-that-will-test-your-will-to-live

Veja mais momentos “aeroportorísticos” em: 23 momentos no aeroporto que são um teste à sua vontade de viver!