Novak Djokovic em ato de humildade

Novak Djokovic é um tenista sérvio que está, atualmente, em segunda posição no ranking da ATP (Association of Tennis Professionals). Tenho que admitir que não o conhecia, afinal não sou muito fã do tênis e portanto não assisto a jogos. Assisti a uma meia dúzia deles, mas isso é tudo. No entanto, depois de hoje, tirei meu chapéu pra esse tenista. Assistam o que ele fez:

É isso mesmo! Uma partida de tênis teve que ser interrompida por uma garoa e o ball boy (a pessoa que recolhe e atira bolas para os jogadores em diversos tipos de esporte, que tem função fundamental para acelerar o jogo e evitar o desperdício de tempo) prontamente parou atrás do jogador, Novak Djokovic, com o guardachuva para protegê-lo das gotas. Djokovic não perdeu tempo e convitou o guri para sentar ao lado dele no banco. Afinal, se ele ia ficar ali com o guardachuva, porque não se sentar? O guri mal cabia em si de tanta felicidade! Não parava de se mexer, as pernas balançavam e o sorriso tímido foi tão bonito de ver…

Bem, sei que esse não é o tema principal do blog. Mas acho que o mundo inteiro precisa de mais atos de bondade, de humildade, de respeito pelo próximo e tantos outros que eu avaliei e achei que esse tema merecia o espaço no blog . Peço licença para publicar mais um ou dois vídeos de atos bonitos no esporte, afinal acho que vale uns momentos dedicados à esses momentos que parecem não existir mais, não é? Digo, são atos de humildade e são raros em um mundo aonde esportistas são considerados Deuses (e a maioria acaba por se sentir Um). Bem, deem uma olhada nesses abaixo e me digam: o esporte não é lindo?

Treinador Canadense reage com espírito esportivo

Nas Olimpíadas de Sochi desse ano, um treinador Canadense mostrou que o esporte não é apenas vencer. Nesse caso, significou a dignididade do competidor. Para encurtar a história: um esquiador Russo acabou sofrendo alguns pequenos acidentes durante o percurso montanha abaixo e seu esqui se quebrou, fazendo com que o competidor precisasse se arrastar para tentar chegar a linha de chegada. Só que o caminho estava complicado para o jogador, que caiu várias vezes, sem ter total controle do seu equipamento.

Um treinador Canadense saltou da área restrita com um esqui novo em folha nas mãos e se dirigiu correndo até o jogador. Sem qualquer palavra e em uma fração de segundos, trocou o equipamento do esquiador, permitindo assim que ele cruzasse a linha de chegada. É claro que o jogador não ganhou. Mas poxa, valeu a competição inteira, não? Twitter image of Canadian coach Justin Wadsworth fixing Russian Anton Gafarovski.

Bem, nesses casos, Djokovic e o treinador Candense criaram lembranças lindas em duas pessoas, com atos sinceros, simples, desinteressados e espontâneos. Dá-lhe o espírito esportivo! E vamos elevar ao esporte ao que ele realmente é: uma atividade saudável e bonita.

  • Esse último vídeo reúne umas expressões lindas; no primeiro caso, o sorriso do pai carregando o filho para fora da arena; o segundo, a não aceitação da provocação e o jogador que impediu que o companheiro se ferrasse; e os outros tantos que aparecem nele… No fim das contas, os atos existem, mas acho que a mídia prefere expor o que tem de pior, né? Porque vende mais, porque é sensacionalista.

Um detalhe para o jogo do minuto 3:15, quando o jogador, mesmo com toda a adrenalina que muitas vezes é difícil de controlar, sabe que não é definitivamente só a vitória que importa. É o esporte.

Obrigada por hoje extrangeiros! E logo venho com mais posts de viagens!