Novo destino = muitas novidades! Viagem à vista, baby

Oi meus extrangeiros viajantes, como estão?

Bom, depois de algum tempo sem posts, estou voltando à ativa! Dessa vez, com post de viagem à vista! É isso aí, novo destino, e dessa vez, para turistar mesmo. Não me lembro a última vez que saí do Brasil para fazer turismo, única e exclusivamente. Quer dizer, fiz muito turismo durante os meus intercâmbios, mas o objetivo ao sair do Brasil era estudar. E agora é passear mesmo. E querem saber o melhor? É férias em família! Vamos pai, mãe, irmãos, papagaio, gatos e cachorros! Assim é ainda melhor!

Bom, mas qual é o destino? Estados Unidos! Pra variar… haha Sabe o que acontece? Nós todos adoramos esse país (aliás, amamos o mundo inteiro, enfim), a viagem foi decisão de última hora (pra ser quase exata, decidimos faz 4 dias)  e todos temos visto de turista válido pra lá, então é pra lá que vamos… Em exatamente 10 dias. E quando se fala em viagem, qualquer lugar é bom… Viajar é sempre maravilhoso. Principalmente quando a maioria de nós não conhece o destino ainda. Então, vou contar, vamos para Chicago! A princípio também Detroit e às Cataratas do Niágara, afinal é tudo meio perto. E, no caso dessa viagem, vale muito a pena alugar um carro e ir passeando. De repente parar em uma cidade maravilhosamente desconhecida? Ai, que felicidade!

chicago-51326_640

Mas então, mãos à obra! Como surgiu a ideia de fazer o post? É sempre tanta coisa que envolve uma viagem que acabo não conseguindo postar tudo! Mas hoje decidi fazer direitinho… Então, vou começar… As primeiras coisas que devemos pensar quando se fala em viajar a turismo são, nessa ordem:

1. Passaporte. Esse documento precisa estar válido por pelo menos 6 meses da data de volta da viagem! Por exemplo, eu vou viajar dia 10 e chego no dia 26 de Agosto, então o passaporte precisa estar válido até 26 de Fevereiro do ano seguinte. É simples, conta-se 6 meses do dia em que se chega ao Brasil. E não tem choro, se tiver 3 meses de validade da data da volta, não embarca.

2. Visto – Para o país que vou, preciso de visto? exemplo: Estados Unidos e Canadá sim, mas Europa não. Vale tomar esse cuidado antes. E se a viagem for encima da hora, que nem a nossa, então é melhor escolher um lugar que não exija visto para turistas. Pensem no Chile, Argentina ou outra alternativa mais em conta (a Europa tá meio desesperadora com relação a valores assim encima da hora!).

Lembrando que para quem tem Cidadania de outro país da Europa não precisa de visto para EUA? Vale se informar sobre o ESTA ou ler esse post aqui.

3. Passagens internacionais e domésticas – pesquisar, pesquisar e pesquisar preços, até cansar mesmo – ou pedir que a Paula faça isso, afinal eu quase nem gosto! haha Brincadeiras à parte, encontrar um preço bom requer muito treino. Não é ironia, não, exceto quando existem promoções, o que vale é o tempo e a hora certa de estar em frente ao computador, tabet, celular, etc. buscando e buscando! É tudo um jogo de paciência (literalmente).

4. Passeios e hotéis – compras, shoppings, outlets, restaurantes, museus, parques de diversões, estações de esqui, atrativos naturais, etc. etc. etc. Tantas coisas para ver, fazer, por onde passear, fotografar que a gente se perde! Há quem goste de não planejar nada e simplesmente ir! Há aqueles que gostam de ter tudo certinho, cronometrado… E também aqueles que são mais flexíveis, planejam mas podem mudar. Diversidade é o que não falta quando se fala em turistas!

Ah, lembro que essa questão de planejamento é completamente diferente quando se vai à China! É preciso muito tempo, planos detalhados e inclusive itinerários, reservas de hotéis e passeios obrigatórias!

5. Seguro de viagem – Importantíssimo! Hoje, muitos países já nem permitem a entrada no país, mesmo que seja em condição de turista, caso não se tenha o seguro de viagem. E, além de que isso hoje já é uma exigência (até algum tempo atrás, se podia entrar em qualquer país sem seguro por um determinado período de tempo e propósito da viagem), eu considero fundamental. Em qualquer lugar fora do nosso país natal, a saúde sempre vai ser muito cara. Primeiro, porque não somos nativos do outro lado, e isso já impõe limitações. Segundo porque a gente não sabe o que pode acontecer. Não, não é viver com medo. É justamente o contrário! A gente compra o seguro, pensando em jogar fora esse dinheiro. Tudo bem. Melhor pagar e não precisar (afinal, não é tão caro assim) do que, por uma ironia do destino, precisar e não ter seguro. E aí, meus caros, não tem bolso que aguente os valores altos! (Principalmente nos EUA).

Bom, para qualquer lugar que se vá, a ideia é sempre essa: a documentação é fundamental! Tendo tudo isso que eu disse aí encima, e tendo se planejado financeiramente para levar cartões e papel moeda, pronto, o resto tudo se ajeita: a própria viagem é quem dita as regras!

Uma coisa que achei interessante comentar… Eu gosto muito da praticidade. Lembro que quando era menor, no início das minhas viagens, lavava malas e horrores de coisas… O que era o “ó” do borogodó, imagina, eu já sou desastrada e ainda levo trocentas coisas só para me atrapalhar um pouco mais. Com o tempo, fui perdendo bastante disso… Hoje, prefiro levar menos coisas e deixar mais espaço na mala. Ir curtindo a viagem desde a saída de casa (sabe aquele ditado: ” a gente vive melhor, com menos”?)!

É por isso que tenho tentado facilitar a minha vida, com a tecnologia principalmente. Por exemplo, tem alguns aplicativos bem legais que ajudam na hora da viagem… O Flight Aware Flight Tracker e o GateGuru são dois que eu gosto bastante. Eles avisam tudo à todo o momento, além de claro deixar a possibilidade de tu teres todas as informações à mostra, a qualquer hora em qualquer lugar. Fica a dica: é só baixar os aplicativos antes de viajar e inserir os dados da reserva! Eles ainda indicam: tempo de espera na fila da imigração, tempo de conexão, atrasos em voos, etc. etc. É prático mesmo!

Para quem vai viajar para os Estados Unidos, não esqueçam do detalhe dos aparelhos eletrônicos, ok? Podem checar neste post!

Ah, alguém tem alguma dica para essa minha viagem? Algum lugar que acham que pode ser legal? Alguém que já morou lá ou passeou por lá tem sugestões do que fazer ou do que não fazer? haha Nós gostamos muito de visitar quase qualquer lugar! Gostamos de comer coisas diferentes, mas não necessariamente caras, somos super tranquilos para compras, gostamos sim de comprar, mas com o dólar alto, visitamos muito mais. Aliás, nossa preferência é sempre experiências! Então se alguém quiser contribuir, eu agradeço muito!

Beijos e até a próxima!

Anúncios

Vai viajar para os Estados Unidos? LIGUE o celular

É isso mesmo extrangeiros, a partir de agora quem for viajar para os Estados Unidos pode ter que comprovar que o celular é mesmo um aparelho usado para ligações e não é um detonador, uma bomba ou qualquer outra coisa. Para isso, ele precisará ter bateria e você precisará poder ligá-lo!

Levei um susto quando li a reportagem, porque invariavelmente meu celular está sem bateria!! E levar o carregador na bagagem de mão implica em que eles podem (não aconteceu comigo em viagens recentes, mas se está sujeito) tirá-lo porque há toda uma preocpação com relação ao fio (perigo de enforcamento)!

Ainda não encontrei ninguém que tenha ido depois que essa medida foi sugerida, então não posso dizer como está funcionando. Mas o que preocupa o país (EUA) são os aparatos que aparentam ser um objetivo já conhecido, mas na realidade são bombas! Na reportagem, eles afirmam que vão aumentar a segurança (o que significa aumentar os procedimentos de revisão no embarque). Então: cuidado redobrado nos aparelhos que vocês levam na mala! Tablets e dispositivos eletrônicos em geral precisam ligar se eles pedirem comprovação!

Por via das dúvidas viajantes, é melhor carregar o celular antes de embarcar!

Fonte

Government Shutdown e o turismo

Olá!

E aí, me contem, como estão?
Por aqui tudo tranquilo. Quer dizer, comigo tudo ótimo, ando fazendo mais pesquisa ultimamente, o que acaba refletindo no meu tcc, que também vai caminhando a passos mais rapidinhos. Fora isso, minhas pulguinhas já começaram a agir, estou me coçando terrivelmente para viajar de novo; a última viagem que fiz foi para Ijuí, no RS mesmo, no feriado de 20 de setembro. Mas é que… já faz uma semana!

E bem, falando em viagem, hoje vim trazer uma notícia que vem assombrando os EUA nos últimos dias… É o que eles chamam de Government Shutdown. O que é isso? Porque acontece? Isso afeta nossa vida como turistas?
Ô se afeta! Bem, mas vamos lá!

  • O que é Government Shutdown?

É um evento que pode estar prestas à acontecer (de novo, porque já aconteceu em 95 e 96), aonde o governo “corta gastos”, quando só mantem os serviço fundamentais funcionando, como Polícia, Bombeiros, serviços médicos, forças armadas, correio. Outras dependências que dispendem dinheiro do governo são temporariamente “dispensadas”. Como, por exemplo, agências e postos aonde tiramos nosso visto de turista norte americano.

  • Por quê acontece?

Essa situação acontece quando a Casa de representantes, o Presidente e o Senado não chegam a um acordo em relação ao orçamento do país para o próximo ano (que nesse caso começa em 1 de outubro próximo). Dessa vez, a situação toda está centrada no que se apelidou de “Obamacare”, porque os Democratas não concordam com o posicionamento dos Republicanos, que não concordaram com o orçamento para essa nova lei da saúde idealizada pelo presidente Obama. Deu pra entender? O presidente quer que seja posta em prática essa nova lei de reestruturação da saúde do país (que abrangeria aos norte americanos mais pobres), mas na hora de acertar os ponteiros e decidir o orçamento, os Republicanos não aceitaram, e decidiram deixar a nova lei do presidente de fora do orçamento do ano que vem, atrasando em um ano a medida proposta (porque só entraria no orçamento do ano que vem). O que não está sendo aceito pelos Democratas de jeito nenhum.
E essa briga acarreta num não entendimento com relação ao orçamento. O que torna impossível de fechar qualquer decisão, afinal os poderes não estão de acordo e eles precisam estar de acordo para que seja fechado o orçamento. A decisão tem que ser feita até a meia noite de segunda-feira, caso contrário as agências do governo e programas sociais não fundamentais pararão e fecharão completamente.
No shutdown que aconteceu em 95 e 96, a razão foi, outra vez, o não entendimento de democratas e republicanos no governo Clinton. Tá bem, não é tão simples assim. Existe toda uma discussão acera do orçamento para o novo ano, mas o que acontece, basicamente, e muito superficialmente, é isso: os poderes mais importantes, que decidem o orçamento do país, não conseguem entrar em um acordo. E aí é preciso colocar no orçamento apenas necessidades fundamentais da população, ou o básico que ela precisa.

  • O que é forlough?

Bem, primeiro, não existe tradução para essa palavra (é como forclosure, que não tem tradução), mas o que ela significa é bem simples: empregados de agências do governo e serviços já determinados como não fundamentais vão para casa sem serem pagos. É como uma licença não remunerada.

  • Government Shutdown e o turismo

Para que uma economia cresca, é preciso que as pessoas comprem e o dinheiro rode. É preciso que as pessoas estejam sempre andando, comprando, trocando, vendendo, ganhando, perdendo, saindo, entrando, enfim, a economia não pode parar de girar. No momento em que se corta o fundamental, vários setores são afetados. Várias pessoas são afetadas e também empresas. A começar que as pessoas ficam sem receber, sem trabalho, sem outra saída. As empresas associadas ao turismo e outros setores prejudicados, podem acabar, inclusive, fechando. As açõs na bolsa de valores caem. Investidores reagem cautelosamente. Isso acontece porque a economia “congela”.
O que acontece, mais especificamente no turismo, é que Parques Nacionais (famosos nos EUA por seu grande número de turistas) e atrações como a Estátua da Liberdade fecham. Elas simplesmente não funcionam durante esse tempo. Além disso, como agências do governo não funcionam, consequentemente os postos para fazer o visto não abrem também. Além de outras medidas. E o turismo é grande parte do income dos EUA o que afetaria profundamente a economia. Mas é claro, a consequência mais importante pra ti é que a tua viagem pode ter que ser cancelada.

E a tua viagem ser cancelada (e tu não gastar comprando, hospedando-se e alimentando-se como turista) afeta negativamente a economia norte americana (inclusive porque aqueles americanos que não tiverem passaporte, não poderão fazê-lo, já que as agências não estarão funcionando).

Nós, turistas, não somos quem sofremos mais com isso, obviamente. A população norte americana sofre muito, inclusive porque cientistas que acompanham epidemias também param de trabalhar, o que significa que pode (não vai, mas pode!) haver problemas muito mais sérios de saúde.

Enfim, é uma decisão cautelosa, da qual eu não entendo muito ainda. Mas que tem consequências de peso em uma economia. E na verdade, esse Shutdown já aconteceu outras 17 vezes nos EUA, por períodos bem mais curtos, como 3 dias. O mais longo foi mesmo no governo Clinton.

E depois que acabar o período?
Bem, o período só acaba quando um dos lados desiste. No caso, o mais provável a acontecer, é que os Republicanos se “retratem” e voltem atrás na decisão, o que implicaria no fim do Government Shutdown e também na inclusão da lei da saúde, Obamacare, no orçamento de 2014.

Ah, e para completar: o Government Shutdown não impedirá que a Obamacare “entre em ação”. Na verdade, ao meu ver, isso é tudo uma briga política, porque a verba para que a lei de reestruturação da saúde do presidente é compulsória. O que significa que a verba vem de impostos do fundo compulsório de expansão médica e seria dada continuidade a Obamacare, verba que não depende do orçamento.

Irônico, não?

Sites: http://qz.com/129437/who-will-notice-a-us-government-shut-down-public-workers-foreign-governments-and-people-with-the-flu/; http://www.reuters.com/article/2013/09/30/us-usa-fiscal-idUSBRE98N11220130930; https://www.policymic.com/articles/60837/government-shutdown-2013-still-a-terrible-idea; http://blogs.marketwatch.com/thetell/2013/09/26/heres-what-happened-to-the-sp-500-last-time-the-government-shut-down/; http://www.hotelnewsnow.com/Article/11347/Government-shutdown-threatens-travel-industry; http://www.usatoday.com/story/news/politics/2013/09/29/questions-and-answers-about-the-shutdown/2888419/; http://www.thedailybeast.com/articles/2013/09/28/here-comes-the-shutdown-three-reasons-it-will-hurt-the-gop.html; http://www.washingtonpost.com/blogs/wonkblog/wp/2013/09/24/everything-you-need-to-know-about-a-government-shutdown/; http://edition.cnn.com/2013/09/23/politics/government-shutdown-daily-life/index.html

Estados Unidos #dicas

Oii!

Que saudade daqui! Tô correndo tanto nas últimas semanas que não consegui arrumar um tempinho pra escrever até ontem. Se eu contar pra vocês que deu tudo uma confusão enorme com meu histórico e com as disciplinas, vocês nem acreditam… Tive que correr nos últimos dois dias de reajuste e arrumar um horror de coisas! Foi terrível. Agora, tô envolvida com voltar às atividades que eu meio que deixei de lado das férias (pela viagem a Quaraí principalmente), coisas como o TCC (que tenho 2,5 meses pra terminar!) e a pesquisa, já que sou bolsista de inciação científica. Além das cadeiras (= disciplinas) normas da faculdade. Tá bom, normal não, pq eu nunca fui uma aluna normal… Faço disciplinas com todos os cursos possíveis e imagináveis! Além de disciplinas no turismo mesmo faço duas extras, uma na Administração e outra na Geografia (meus futuros clientes agradecem!)

Mas vamos ao que interessa… Faz tempo que venho querendo completar a seção DICAS&PAÍSES e finalmente me dediquei à isso ontem à tardinha… Consegui escrever algumas dicas que queria sobre os Estados Unidos… Nenhuma cidade especificamente, por enquanto, mas já fiz as dicas gerais. Lendo agorinha o que escrevi hoje, percebi que faltou algo como culinária, por exemplo, mas posso ir terminando à medida que for montando as dicas das cidades que visitei…

Para quem quiser acessar, basta passar o mouse no menu DICAS & PAÍSES lá encima, não clicar, e descer o mouse até Estados Unidos e aí sim clicar. Pode também acessar este link.

Por agora é só. Preciso voltar a fazer pesquisa (fiz um breve intervalo pra vir postar aqui) pra ver se também escrevo um pouco pro tcc ainda hoje…

Beijos e até o próximo!

Gorjeta, TIP, propina, …

Olá!

Como estão?
Bem… Hoje temos duas notícias importantes, uma em âmbito nacional e outra em âmbito mundial certo? 1. O papa Francisco chegou ao Brasil! 2. O bebê real, filho de Kate e do príncipe William, nasceu!! E é um menino!

Sei que não são assuntos do blog, mas achei legal comentar. Além do mais… Bem, queria postar algo sobre o papa Francisco, mas estou com opiniões beeem divididas e contrárias… Se por um lado acho bom que um representante da igreja católica esteja no Brasil, por outro não estou completamente convencida de que gosto do Papa e o que isso de ele vir pro Brasil quer dizer… Bem, veremos. E vocês? O que acham?

Sobre o bebê real… Pobre criança! Sério! Eu odiaria a vida que essa criança vai ter: aprender a se comportar dentro do que lhe é permitido desde criança, nunca jamais usar os talheres de forma errada, não dizer coisas “impróprias”, não poder se embebedar a hora que quiser, etc, etc, etc… haha Tá bom que nós, seres humanos comuns, não temos toda a liberdade que achamos que temos… Mas com certeza é mais do que esse pobre nenê que mal e mal chegou ao mundo!

Dadas as notícias do dia, comecemos! hahaha
Hoje vim trazer uma reportagem que eu gostei muito, da folha online. É uma dúvida que muuuuita gente tem quando sai de viagem: dou ou não dou gorjeta? As famosas TIPS: deixo gorjeta? Se sim, quanto?

A reportagem está aqui.

Bem… Nos Estados Unidos é importante deixar sempre! A não ser que o garçom não tenha atendido bem, ou que tenha demorado. A tal da TIP nos Estados Unidos funciona como um indicador: se o atendimento foi bom, então se deixa tip, de 15 a 20% (ou 10 a 15, depende da “pão durice”) do valor total da nota. Agora, se não gostar, deixa + – 5%, porque aí eles saberão que não foi bom. Se tu deixar pouco, ou nada, é bem provável (isso já aconteceu!) que o garçom saia atrás da pessoa e pergunte o que aconteceu, porque o cliente não gostou do atendimento Uma vez, e isso realmente aconteceu, um garçom correu atrás do cliente e perguntou o que eles não haviam gostado no atendimento, já que não haviam deixado nenhuma tip, porque aí ele poderia melhorar o atendimento para os próximos clientes. (Mas não esqueçam: tem que deixar tip! Mesmo que o serviço tenha sido ruim, é importante deixar um valor baixo então, mas não deixar nada não é legal)

Na Espanha eu não sabia o que deixava! Era sempre um dilema. Porque, diferente dos EUA, o costume não é obrigatoriamente deixar gorjeta. Pelo menos não uma porcentagem estipulada. No caso, eu deixava sempre o troco. Umas moedinhas, ou algo assim. Algumas vezes, não deixava nada!! hahaha

TIP

 

No México, o engraçado é que se deixa gorjeta pra tudo! Não só pra quando tu vais num restaurante ou a um local de serviço, mas quando vai gente entregar comida na tua casa, ou os responsáveis por entregar água de garrafão, etc. Em restaurantes mesmo, eu não deixo muito, da mesma maneira que na Espanha, eu deixo umas moedas, uns 4, 5 pesos ou algo assim.

Bem, por enquanto é isso! Logo volto com mais!

Rockefeller Center, NY!

O Rockefeller center (ou Rockefeller Plaza) é um complexo de 19 edifícios comerciais que está localizado em Manhattan!

Esse complexo era para ter sido, na verdade, uma casa de Ópera. O espaço foi arrendado por John D. Rockefeller, Jr, e pertencia a Universidade de Columbia. Com a crise de 1929 que abalou os Estados Unidos, o moço pobrinho aí de cima – e bem pouco empreendedor – decidiu mudar os planos, ao não conseguir um empréstimo. Não era mais uma “simples” casa de ópera. Mas abrigaria, posteriormente, uma Casa de Shows, o Radio City Music Hall. Hoje conhecido como “Showplace of the Nation” (Casa de epsetáculos da Nação).

O “30 Rock”, sitcom norte americano, tem como cenário um dos 19 prédios do complexo.

No inverno, em frente à essa escultura de ouro, há uma pista de patinação e uma grande áervore de Natal!

É hoje uma das principais atrações turísticas da cidade de Nova York, Estados Unidos.

IMG_3319 IMG_3318

Fonte: Wikipedia, Rockefellercenter.com e radiocity.com