FACES DO ISLÃ

Extrangeiros, OI

Eu sempre venho trazer notícias boas, ou pelo menos alegres, enfim… Mas hoje vi umas fotos que me fizeram ter vontade de compartilhar o outro lado de uma cultura com vocês. São imaens fortes, portanto quem não quiser ver, não continue a ler o post. Eu peço que vocês me deem um feedback com relação ao post. Facebook

Esse tema de diferenças culturais sempre me fascinou. Profundamente. Eu sou completamente apaixonada por culturas e sou defensora das diferentes culturas. No entanto, outro tema que sempre me intrigou é essa questão dos direitos das mulheres, sobretudo, em muitos países do oriente (estou falando da questão física mais severa). Aí, encontrei essa reportagem, dentre tantas outras, e achei importante dividi-las com vocês e saber o que vocês pensam sobre isso.

Por quê? Porque o fato de as mulheres terem que usar burca (entre tantas outras regras) é uma diferença cultural. E existem muitas. Como, por exemplo, não poder votar. Parece algo muito complexo pra nós, de culturas aonde isso não é nem mais aceitável, mas para algumas culturas, isso é simplesmente o ciclo natural da vida. Mas… é assim mesmo?

E quanto à violência doméstica? E quanto à ação de ácidos no rosto dessas mulheres? Será que tudo isso é apenas diferença cultural? Ou é crime?

E vocês podem se revoltar o tanto que quiserem. Como eu faço. Vocês podem me xingar e dizer que isso é uma atrocidade, que é inaceitável. E, no entanto, ainda é prática em algumas culturas.

O título é Faces do Islã. A parte que contém texto é curtinha. Mas são muitas fotos fortes. São pessoas com o rosto deformado por ação de ácido. Aviso, mais uma vez, quem não quiser ou não puder ver essas fotos, não leia o restante do post. Fonte

Continuar lendo FACES DO ISLÃ

Anúncios

Pochetes: sugestão de compra

Oii! Tudo bem com vocês?

Estou tão, mas tão concentrada na pesquisa que nem tô conseguindo vir aqui… Aí tem aulas (poucas esse semestre, em comparação com as 9 do passado), tem academia, tem TCC, … Aí a gente vai ficando louca! E tem que arrumar tempo pra sair e ver os amigos, né??? Muito importante!

Bem… Uma vez, lá em agosto, um colega meu do lugar aonde eu trabalhava (SAI, um dia eu falo de lá pra vocês!) me pediu sugestão de pochetes… Ele estava indo pro Canadá e queria saber uma boa pra comprar… E eu sou meio que a “consultora” do pessoal (tá bem, tá bem, não é pra tanto! Haha), adooooro dar dicas de lugares, fazer roteiros, indicar estabelecimentos, hotéis, restaurantes, baladas, enfim, adoro mesmo! Daí todo mundo me indica e me pede sugestões… Inclusive, estou pensando em fazer um post especial sobre Valência, porque tem muuita gente que me contatou nesses últimos dias que tá indo pra lá e quer ajuda com moradia, visto, documentação, enfim… Vou pensar nisso, fazer um post bem completo! Que tal?

Mas bem,  fiquei com vontade de postar o que eu acho sobre pochetes! Primeiro, elas são super úteis! Pode ficar pensando: “ai, que coisa de velho! Não vou levar pochete. Quem vai me assaltar?” Tenho que dizer, não vou indicar aqueles modelos grandes, que se põe por cima da roupa! Não! Embora também seja possível levar essas, eu vou indicar umas discretas, bem fininhas, que podem ser sutilmente carregadas em contato com a pele, sem que apareçam, nem mesmo com uma camiseta branca!

Uma pochete é importante! E não vá pensando que o pior não acontece, porque pode acontecer sim! E aí, se te roubam e levam bolsa, cartão de crédito, dólares, enfim, vai voltar pro hotel como? Se é que deixou dinheiro no hotel…

Uma dica é leva-la nas costas… Ao invés de atar nas costas e deixa-la pra frente, coloca ela no “vãozinho” das costas que esconde bem e, depois de um tempo, tu já nem sente mais que tá com ela. Claro, dependendo da qualidade dela!

Segunda dica… Uma pochete boa é uma pochete boa! Ou cara. Não compre qualquer merdinha que não tem botão de ajustar tamanho, que não seja de elástico, que seja dura! Tu vais andar com ela por bastante tempo, ela precisa ser confortável para que, quando se ajuste ao teu corpo, tu nem sinta mais que estás com ela.

Acho importante algumas coisas na pochete, e vou explicar porque:

  • Ser maleável. Porque ela precisa se ajustar as tuas costas. Se for dura ou rígida, então vai ficar incomodando e tu vais ficar sentindo ela o tempo todo, o que pode gerar um grande desconforto, acredite.
  • Tenha elástico bom e ajuste de tamanho. É importante para poder ajustar direito à cintura, para que não fiquei nem muito grande, nem muito apertada. Qualquer um dos dois pode incomodar muito. Imagina ter que ficar colocando a pochete pra cima toda hora que ela cair? Além do quê, fica mexendo pra lá e pra cá, o que não ajuda no processo de ajuste, então tu vais ficar sentindo ela o tempo todo…
    E se ela ficar apertada e tu tiveres comido demais… Pode piorar tua dor de barriga!
  • Furinhos! HÁ! São aqueles bem pequenos, que ficam atrás da pochetes, e tecnicamente chamam-se furinhos antitranspirantes, ou algo assim.  Porque caminhando a gente sua um moooonte e se não tiver furinhos, molha todo o dinheiro e o cartão e fica tudo uma nojeira! As coisas ficam bem mais sequinhas quando tem os furinhos.

Uma pochete que eu adoro é da marca SESTINI! Ela é cara, mas é maravilhosa! A minha tá velinha, com uma manchinha na frente, e bem surradinha, mas não abro mão dela por nada! Só por outra igual!

2013-08-07 16.33.20
Elástico com opção de ajuste de tamanho
2013-08-07 15.33.11
Furinhos para transpiração

Aí vai a foto de algumas… Eu gosto de todas elas. Tem umas com mais pontos positivos que as outras… Mas não adianta também só ler as dicas. Tem que colocar o troço na cintura e sentir! Afinal, é tu quem vai andar com ela grudadinha no teu corpo! Então é tu quem te que se sentir confortável.

2013-08-07 15.32.37

Acho que de pochetes era isso… Se alguém tiver mais alguma dica e quiser contribuir, por favor faça isso!! Adoro ficar lendo dicas e dicas e aprendendo pras próximas viagens…

Bem, vou indo nessa! Até mais extrangeiros!

24 coisas que eu aprendi até os 23

Aí vai a minha lista! A minha tão sonhada e esperada lista! Já fiz horrores dela. Nenhuma gostei tanto quanto esta. É simplesmente muito do que eu queria dizer. E é tudo realmente verdade! São as 24 coisas que aprendi até os 23! 

  1. Aprendi a me colocar no lugar do outro. E não é só da boca pra fora. Tem que realmente sentir. E a gente sente, quando a gente passa pela situação e entende que talvez devam existir exceções e que as exceções, às vezes, precisam quebrar algumas regras.
  2. Aprendi a me manter verdadeira a mim mesma. A não mudar a minha opinião porque os outros vão criticar ou achar estranho. Deixa que achem! Não se venda, não se traia! Seja verdadeiro ao que acredita, mesmo que seja estranho, inovador ou simplesmente diferente. Lembre-se: a moda muda o tempo inteiro, o tempo todo, todos os dias. Então, estar na moda pode significar realmente ditar a moda. Depende de ti. De ninguém mais.
  3. Aprendi que viajar te faz crescer, amadurecer e evoluir. Viajar faz com que a gente abra os olhos para o que antes não víamos. Conhecer o mundo é respeitar e, principalmente, aceitar que existem pessoas e culturas diferentes e que ninguém é melhor do que ninguém. Que nenhum país, lugar ou região, tem uma comida típica melhor do que o outro, que nenhum é mais ou menos interessante. Todos somos tão insanamente diferentes que somos fantásticos por isso.
  4. Aprendi a respeitar o mundo. Os outros. À mim mesma.
  5. Aprendi que conservar os amigos verdadeiros é mais valioso que a joia mais cara da Tiffany’s e que nem todas as joias do mundo valem tanto quanto voltar pra casa (seja aonde ou quem for o seu lar) depois de um período de saudade.
  6. Aprendi a ser prática. Levar pouca bagagem. Porque muita bagagem faz doer as costas e ninguém quer andar com uma tonelada de culpa, ou roupas, para o resto da vida, certo?
  7. Aprendi que a minha família é o mais precioso no meu mundo. E aprendi que é importante dar valor à eles também. Caímos todos de paraquedas numa mesma família, mas precisamos conservá-los se não quisermos que eles saiam dali. Afinal, quem tem paraquedas para cair, tem pernas para sair.
  8. Aprendi que somos o mais valioso que existe em nós. E ainda estou aprendendo que não existe ninguém a quem possamos nos comparar. Somos únicos, inteiros, completos assim. Não quero ficar olhando para o lado o tempo inteiro, tentando imaginar que características ainda preciso adquirir, o que é que vai me fazer um gestor de sucesso, uma desenhista reconhecida, uma modelo famosa ou um engenheiro rico e bem sucedido. Preciso despertar o que é bom em mim. O que me faz ser boa. O que é bom para os outros, pode não ser bom pra mim. E despertar o que é bom em mim é o que vai me fazer diferente dos outros, mas verdadeira ao que sou.
  9. Aprendi que processos seletivos são lentos e dolorosos.
  10. Aprendi, repetitiva sem ser clichê (sexy sem ser vulgar), que o mundo dá voltas. Tudo que vai, volta. Cuidado com o que tu dizes, fala ou és; um dia, vais encontrar alguém que é tão parecido contigo quanto um reflexo no espelho, só que com voz. Alguém que diz, fala ou é como tu. Podes ter uma surpresa e tanto então. Grata ou não.
  11. Aprendi que Deus é um refúgio. Mas ele não faz nada sozinho.
  12. Aprendi que as frases “Amores vem e vão” e “Homens são igual biscoito. Vai um e vem dezoito” não passam de pura baboseira. Na maioria das vezes, ditas por mulheres com autoestima baixa, que deixaram de serem elas mesmas por homens que não as mereciam, e que não fazem jus ao que poderia realmente pintar a realidade. Homens só podem tripudiar em ti se tu permitires. Ninguém pode te impedir de sofrer (e isso vai acontecer!), mas só tu podes te permitir continuar sofrendo. Se permitires, a culpa não é dos coitados dos homens (que tem que ouvir da mulher melancia como os homens são cafajestes), mas inteiramente tua.
  13. Eu aprendi que o beijo pode ser a maior expressão da alma. E às vezes, pode ser violento.
  14. Aprendi que homem não é santo. Não é porque algumas mulheres se permitem ser chamadas de mulher fruta ou popozuda que todas tem que ser tratadas assim. Cada uma mostra de si o que quer receber. Mas nem todos os homens respeitam isso.
  15. Aprendi a não expor a minha vida inteira no facebook. É superficial demais.
  16. Aprendi a sair da linha, de vez em quando. E que isso não precisa ser de conhecimento público.
  17. “Quem vive sabe, mesmo sem saber que sabe” A hora da estrela, Clarice Lispector. Aprendi que ler também nos faz sabidos.
  18. O mundo é feito de escolhas. Aprendi que é difícil fazê-las, mas necessário. Se eu não fizer, alguém ou a vida fará por mim. Absolutamente tudo é questão de escolhas: comprar uma roupa ou guardar para viajar no fim do ano? Comprar um livro ou guardar o dinheiro para ir pra balada? Ter uma festa de 15 anos ou fazer uma viagem quando for mais velha? Fazer e lembrar dos 18 anos ou amanhecer podre de bêbada e de ressaca? Ser lembrada como alguém carinhosa ou agressiva? Ter ou ser?
  19. Sonhar é importante. Mesmo que seja realmente impossível. É isso que vai garantir que exista um destino final. E uma caminhada.
  20. Namorar é bom. Carinho é delicioso. Amor é ótimo. Paixão é ardente e gostoso. Mas aprendi que sexo pode ser a junção de todos em um único momento. E é melhor ainda.
  21. Aprendi que sorte é oportunidade e que oportunidade é consequência das nossas ações. Nada mais.
  22. Aprendi que acreditar em algo maior, algo superior, ou algo que talvez não exista, é fundamental. Quando caímos, e vamos cair em algum momento, temos duas opções: permanecer caídos ou levantar. Para a primeira opção, não precisamos fazer nada. Para levantar, é preciso reunir forças e se agarrar a algo ou alguém. E se Deus existe pra mim, pois então é dele que tiro forças. Se é um grande e ambicioso sonho que tenho que me fará ignorar a dor de ter caído, então é nele que vou me agarrar.
  23. Aprendi que não preciso saber tudo. Mas que saber pouco e ser feliz é uma dádiva.
  24. Aprendi que limites são importantes.
  • Ainda não aprendi, no entanto, que tenho uma boca e dois ouvidos. Ouço, ouço e ouço e, no entanto, só reconheço a minha voz.

 

Toledo

Oi pessoal!

Bom, como falei pra vocês, aqui estou! Demorei um pouco, mas é porque esse mês tá um pouquinho infernal pra mim… É a época de provas finais 😀 Então imaginem a minha pessoa bem louca tentando estudar para as provas.. De qualquer jeito, sinto falta de escrever pra cá e tô sempre adiando o que eu adoro fazer! Então hoje vim dar uma folguinha…

Hoje fiz uma nova seção Dicas – Toledo. Amanhã falo um pouquinho do Ano novo em Madrid, que tal?

Toledo é a capital da comunidade espanhola Castilla-la Mancha. Possui 84 019 habitantes (2012) e tem uma superfície de 232,1 km². Dista cerca de 25 km da capital da Espanha, Madrid.

A principal característica de Toledo é Damasquinado, que é um trabalho feito em placas de aço, com fios de ouro e prata. É difícil de explicar, mas posso mostrar uma imagem que vai fazer vocês entenderem…

Damasquinado

Toledo é muito bonita! É uma cidade pequena, mas com bastante atrativos turísticos. Além de que é muito gostoso passear por lá! E claro, não dá mesmo pra sair sem comprar ao menos uma peça de Damasquinado…

Como fiz uma seção sobre a minha  visita à cidade, vou deixar o link aqui, caso alguém queira ler um pouco mais… https://noextrangeiro.wordpress.com/dicas/toledo-espanha/ Ou passa o mouse por cima da palavra DICAS, no menú, encima à direita e clica em Toledo – Espanha. Vai dar na mesma página 😉

Por hoje, é isso!
Amanhã volto com mais novidades!!

Sagunto

Olá!

Bem, primeiro queria dizer que sinto muita falta daqui! Escrever é meu vício, um dos maiores depois de viajar e ler, e quando não venho, fico querendo vir! hehe É que estou com muitos trabalhos pra fazer, tenho um mês de aulas ainda, e agora os prazos dos trabalhos começam a apertar e tem reunião de grupo, mais estudos, mais mil coisas! Mas bom, ontem (sábado) teve uma escursão com os extrangeiros que estão aqui e eu fui junto! Fomos a Sagunto, uma cidade há 25 km de Valência.

Sagunto é uma cidade murada, que foi romanizada na Idade Média, tem um Castelo de 4 km de extensão e um Teatro romano maravilhoso. Fiz um post com dicas do lugar e também muitas fotos! Acesse: Sagunto https://noextrangeiro.wordpress.com/dicas/sagunto-espanha/

De qualquer maneira, deixo algumas fotos aqui, do Teatro Romano e do Castelo de Sagunto:

 

Ávila, Espanha

Hola! 🙂

Esse fim de semana fiz a minha primeira viagem desde que cheguei! Eu sei, eu sei, dois meses aqui e essa é recém a minha primeira viagem? Pois é. Mas quando eu cheguei, precisei procurar um quarto para ficar durante o intercâmbio e logo na segunda semana já começaram as aulas e aí não tive como faltar. Mas com o feriadinho de quinta e a “puente” (nosso famoso “feriadão”) de sexta-feira, eu pude aproveitar e sair! Escolhi Ávila porque adoro cidades muradas. E como essa cidade foi considerada Patrimônio da Humanidade pela ONU, decide que valia a pena conhecer.

E como queria, fiz um relatório completo com dicas e muitas fotos dessa cidadedinha toda murada! Para quem quiser ver as fotos e as dicas de Ávila, fiz um especial: https://noextrangeiro.wordpress.com/dicas/avila/

Deixo uma foto das Murallas e da Catedral de Ávila!