Ávila

Uma cidade de 1.132,9 m acima do mar, situada na Comunidad autónoma de Castilla y León, com população de cerca de 60.000 habitantes, Ávila é uma das únicas cidades que ainda tem a muralha que cerca a cidade completamente intacta. Por essa razão que, em 1985, foi declarada Patrimônio da Humanidade pela ONU. Também tem uma enorme quantidade de igrejas e catedrais, para o lado que olhar tem uma das duas. Ou um hotel. Enquanto caminhávamos por lá, eu e o Mauríco, eu olhava pro lado e passava por um hotel, olhava para o outro, outro hotel. É incrível a quantidade de hoteis que tem na cidade. E se for procurar ler a respeito, descobre-se que é uma das cidades que tem o maior número de hoteis, considerando o tamanho da população. Interessante para alguém que estuda hotelaria, não?

Bom, minha opinião pessoal da cidade é: Uma gracinha. De verdade, a cidade é um encanto. O estilo antigo foi conservado dentro das muralhas e, incluso, aos arredores na parte mais alta. Se olharmos na parte que é mais baixa da cidade, que fornece uma vista espetacular, a cidade é mais moderna. Nota-se que foi se expandindo com o tempo. É incrível ver a diferença na arquitetura. É lindo demais! Mas vamos às dicas e às fotos:

Como chegar: De Madrid é fácil e barato. Se quiser pegar um trem, que foi a opção que eu escolhi, basta comprar uma passagem na estação (a passagem pode ser comprada na hora ou pela internet pelo site http://www.renfe.com/. Eu comprei um dia antes). Custa 11,40 E a ida e demora cerca de 1h 40 min para chegar. De ônibus, pode-se usar a companhia Avanza (http://www.avanzabus.com/web/default.aspx) e do mesmo jeito que com trem, se pode comprar pela internet. Custa um pouco menos, 9,29 E e tem ônibus que vão ainda mais rápido, em cerca de 1h 20 min. Para a volta, pode-se comprar a passagem da estação de Ávila.

Turismo: O que visitar em Ávila?

  • Muralhas. É muito fácil olhar para o muro que cerca a cidade e ficar impressionada com o boa conservação da construção (pensem que a construção é do século XI). Tem que se visitar, por dentro e por fora.

  

  • Catedral de Ávila: de longe o que mais valeu a pena, na minha opinião. Tem gente que diz que todas as Igrejas se parecen, né? Bom, não pra mim. Algumas tem características únicas. E embora essa catedral tenha, me lembrou muito a Basília de Guadalupe, no DF, na Ciudad do Mexico, por dentro é claro. Realmente impressionante. Uma pena que não tenho muitas fotos dela, porque dentro não se pode tirar fotos e fora estava em reformas.

  • Los Cuatro Postes. Infelizmente não pudemos visitar, porque só tinhamos um diazinhos na cidade, mas vimos de longe!
  • Igreja Santa Teresa de Ávila.
  • La Puerta de Alcázar, que é em frente ao hostal que eu cito abaixo.

  • Iglesia de San Vicente.

  • Monasterio de la Encarnación.
  • Castillo de Arévalo.
  • Iglesia de San Pedro.

Quanto tempo é necesário para visitar Ávila? Com um dia, se estiver bem disposto e aguentar os pés e pernas da caminhada, dá pra conhecer a cidade, as muralhas e voltar pra casa com fotos lindas!

Hotel: Antes de vir escrever, pensei muito sobre essa parte do post. E além disso, ainda conversei com algumas pessoas, incluso com o Maurício, meu companheiro de viagem, e no fim das contas, acho que devo falar exatamente o que aconteceu. A verdade é que o hotel em que nós ficamos era um pouco mais afastado dos pontos turísticos. Por várias razões, era mais barato que os outros e porque fica há cerca de 10 minutos da estação de trem, que era aonde íamos chegar e depois tomar o trem para ir embora. Mas eu realmente achei que ia ser um bom lugar. Enganei-me. Não vou contar detalhes, porque não acho pertinente. Mas a minha opinião sobre o hotel é que falta treinamento para os colaboradores. Falta saber o que fazer, como agir, como tratar os clientes. E, depois de haver estado lá, percebi que o problema está na gestão e não no setor operativo do hotel. Aí, como boa estudante de hotelaria, fui olhar no site deles qual é o “conceito” do hotel e para minha (não) surpresa é oferecer alojamento de qualidade. Infelizmente, passou longe. Coisas básicas, que talvez não incomodem a todos, como não ter menu para a janta, a comida fria e cara, colaboradores (em geral) sem ter muita experiência ou conhecimento, banheiros sujos (não completamente sujos, mas se nota que foram pouco cuidadosos. Ao levantar a lixeira do banheiro, vi sujeira embaixo. Sabe aquela história de varrer aonde passa o padre?), mesa do café da manhã com farelos (durante os 20 minutos que ficamos ali, a mesa permaneceu suja), xícaras recém lavadas com sujeira de café do lado de fora (a xícara do Maurício estava suja!), enfim, são essas coisas que podem acontecer em casa. Não em um hotel. Eu ia colocar o nome do hotel. Ia mesmo. Mas não sei se devo. Então decidi por indicar um estabelecimento pelo qual passamos e que, depois de pesquisar, percebi que parece melhor. Pelo menos em um aspecto fundamental, como a localização.

Hostal Puerta de Alcazar é um hotel que fica na rua em frente às muralhas, do lado de fora. E junto a ele tem um restaurante. O lugar desse segundo pareceu bem agradável. E o menú bem atrativo. Mas esse é Hostal, e não Hotel, o que significa que é um pouco mais barato e bem mais simples.

E tem mais diversos hoteis e hostales em frente à Muralha e também aos arredores e dentro da pequena cidade cercada. Muitos mesmo. Mas eu não entrei nesses e prefiro não indicar sem saber. Então dou uma dica: espere para marcar hotel quando chegar na cidade. Pela quantidade de estabelecimentos, e com tanto que não se vá na temporada alta, é fácil de encontrar lugar para passar a noite.

  

Restaurantes: Na rua em frente à Muralha tem diversos restaurantes (e até uma padaria) para se comer. Os preços são muito parecidos em todos eles. E também os Menús. Embora as promoções sejam diferentes umas das outras, os preços regulam bem. E isso, eu consegui notar porque nós passamos em cerca de 10 restaurantes até nos decidirmos por um. Íamos parar para o Maurício comer Paella, mas o restaurante estava cheio e não teria lugar dentro de 30 minutos (Restaurante Pipol o da Paella, pareceu bem apetitoso e com um lugar bem “maja”). Então escolhemos outro (que eu esqueci o nome, mas assim que eu lembrar, edito o post e ponho o nome).
Indico um restaurante pelo qual passamos primeiro (o que está na foto à direita, abaixo) e só não ficamos porque não queríamos parar na primeira opção. Mas pareceu bom e com um atendimento legal. O nome é Las Murallas e o local também é hotel.

Para duas pessoas, gasta-se cerca de 24 euros em uma refeição! Para comer bem, com vinho ou caña (cerveja, algumas com gotas de limão) e um prato de comida, com frutos do mar ou patatas y jamón.

 

Tempo: Muito frio! Claro, uma cidade tão acima do mar e na época que começa o inverno na Espanha, só pode ser realmente muito frio e ter um vento dos infernos!

Mas segundo conversei com uma senhora que estava na estação, Ávila só tem duas estações: o outono e a privamera. Diz ela que no inverno é terrivelmente frio e que na primavera calor.

 

Em resumo: fiquei louca por Ávila. Quase extendi por mais um dia meu passeio. Mas infelizmente, tinha coisas da faculdade para fazer e tive que voltar. Caso contrário, teria ficado tranquilamente dois dias. Indico para quem gosta de passeios culturais e não liga tanto se faltar o agito.

Página oficial de Ávila: http://www.avila.es/

E quem for a Ávila e quiser me contar, vou adorar! 🙂

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s