Documentação para intercâmbio! #1de2

Oi gente linda!

Seguinte… Tenho sido contatada por bastante gente que tá indo pra Valência, na Espanha! Olha que lindo!!! E eles tem me perguntado localização, aonde morar, como é, documentos, visto, visto, visto, visto, … Eu não me incomodo não! Adoooooro dar uma de “consultora”, mesmo, adoro dar dicas e falar dos lugares que eu já fui e das coisas que já fiz! Afinal, é isso que escolhi pra fazer da vida, né? Então fiquem a vontade para falar comigo!

Aos que vão, pensei em fazer uma série de posts sobre primeiros passos e outros tópicos… E um deles, que veio à calhar, é a lista de documentação… Acho super importante, porque é um momento fundamental da prepração da viagem e também um momento aonde nada pode dar errado. Então vale a pena fazer esse textããão que eu fiz abaixo!
De antemão, peço desculpas pelo tamanho que ficou o texto! :D Não percebi que tinha ficado tão grande até que parei de escrever… haha Daí decidi dividar em duas partes! A primeira delas fala sobre documentação para intercâmbio e mobilidade e a segunda ficou com informações sobre documentação para viagens de turismo!

Tem informações sobre intercâmbio ou mobilidade nacional e viagens a turismo em geral, mas aprofundei um pouquinho mais na Espanha na parte da documentação do visto, porque é o que as pessoas tem mais me pedido ultimamente… :)

Bem, os primeiros passos de um intercâmbio são diversos e, às vezes, parecem infinitos! É verdade! Tem uma hora que parece que não vão acabar jamais, tem contato com universidades, ou comitês organizadores de congressos, tem envio de currículos, históricos, traduções pra cá e pra lá, tem diveeersas idas ao cartório, além de incontáveis e-mails trocados… seja com quem for!

Nesse post ainda não vou continuar a série que estou preparando de intercâmbio em alguns passos (que ainda não decidi quantos serão!). Mas vou falar sobre a documentação, mínima, a ser preparada para um intercâmbio e também para uma viagem de turismo (que é bastante mais simples).

Tem um grande mito em torno do tal assunto: visto. Engana-se quem pensa que visto é um dos primeiros passos a serem feitos. Tem muita gente que tem uma graande preocupação com esse processo, então fica pensando que ele tem que ser feito primeiro. Mas não é bem assim. O visto só vai ser feito, ou encaminhado, depois de quase todos os outros passos. O visto é assim: encaminhou os documentos, descansou e viajou. É simples. Fiquem tranquilos. Vou procurar explicar bem direitinho como esse passo funciona e tranquilizar vocês! Pelo que tenho lido e pelo que as pessoas tem me contado, muita gente aterroriza todo mundo com o tão sonhado e adorado (e temido!) visto. Não se preocupem, não é tudo isso.

Mas bem, vamos lá, fiz duas listas de documentos… Uma para que vai fazer intercâmbio ou mobilidade (e também para quem vai a negócios, serve) e outra para quem vai viajar a turismo, porque a segunda é beeem mais simples que a primeira. Vou chamar Universidade de origem a Universidade em que tu estudar, e Universidade de destino a Universidade em que se quer estudar.

Assumindo que todos que pensaram em viajar, tenham pensado no Passaporte em primeiro lugar, não vou comentar muito sobre ele. O que quero falar sobre esse documento, no entanto, é que ele precisa ser feito com antecedência. Ele é feito pelaPolícia Federal, mas é necessário agendar uma entrevista primeiro. É só entrar no site, e responder a um questionário com informações básicas e de contato (além de ser necessário o título de eleitor e outros docs parecidos). No fim do preenchimento do questionário, a agenda com datas disponíveis vai desbloquear e daí tu podes escolher o dia e horário que quiseres. Feito isso, o site gera uma guia de recolhimento da União (GRU) que gira em torno dos R$ 200,00 e tu precisas pagar antes da entrevista e levar o comprovante no dia (junto com outros documentos pedidos). No dia, tu tiras a foto lá mesmo e eles encaminham teu passaporte. O prazo é geralmente de 6, 7 dias úteis. Mas, devido à grande procura nesses últimos meses, pode chegar até 20 dias úteis! Ah sim, o passaporte tem validade de 5 anos.

Obs.: É importante frisar que mesmo que for fazer mobilidade ou intercâmbio nos países do Mercosul precisa de passaporte! Porque, para fazer matrícula na Universidade de destino, é preciso ter o visto. E para tirar o visto lá é necessário ter passaporte (com exceção do Chile, que o visto é feito em Porto Alegre, nos países como Argentina, Uruguai, Bolívia e Paraguai o visto é feito lá, na chegada do aluno no país).

IMG_7155

  • Documentação #intercâmbio #mobilidade

1. Contatos. O passo mais importante relacionado a documentação, na minha opinião, é esse. Bem, para realizar um intercâmbio ou mobilidade, através da Universidade em que estuda, é preciso que a Uni em que tu estudas faça um contato prévio com a Uni em que tu queres estudar. Assumindo que as duas Unis tenham relações prévias e já tenham om convênio bilateral existente, a Uni de destino vai te pedir uma lista de documentos para que tu envies pra eles, como:

 

– Currículo
– Histórico
– Comprovante de língua (se for mobilidade para fora do país, e um país que não fale português), dependendendo da Uni pode te pedir um teste de proficiência.
– Plano de estudos (um documento aonde tu colocar as disciplinas que pretende cursar lá, e à quais disciplinas elas equivalem aqui, na Uni de origem. Esse documento tem que ser assinado pelo coordenador do teu curso da Uni de origem).
– Fotos
– Cópia do passaporte
– Carta de motivação (aonde tu expressa clara e objetivamente porque fazer essa mobilidade ou intercâmbio é importante pra ti e pro teu futuro). Esse documento nem sempre é pedido
– Carta de recomendação do professor ou orientador (um documento aonde um professor, orientador ou coordenador do curso te recomenda por características positivas que tu tens como aluno). Esse documento é pedido mais frequentemente do que a carta de motivação, mas não é sempre pedido.

Um exemplo de documentação que a UFSM (Universidade Federal de Santa Maria) usa é esse Reg_aluno_PT.

Uma vez que tu envies esses documentos (aconselho guardar uma cópia de todos eles para ti, porque tem assinaturas importantes que podem custar muito para serem conseguidas de novo) para a Uni de destino, eles vão te retornar com um documento que se chama:

2. Carta de Aceitação. É um documento que a Uni de destino te envia, dizendo que eles te aceitam como aluno da Instituição deles por um período X de tempo (que precisa ser especificado na carta, obrigatoriamente). Nesse documento, tem a assinatura, geralmente, do reitor da Uni, com informações básicas tuas, teu nome completo e número do documento de viagem (teu passaporte) e o período que tu fores fazer mobilidade ou intercâmbio lá. Só depois do recebimento dessa carta, é que dá pra começar a pensar no visto. Eu disse, começar.

3. Cartório. Agora é começar a prepração para o visto. Nesse passo, existem muuitas diferenças que dependem do país que tu escolheres.

Esses documentos da lista que eu coloquei são alguns que tu vais precisas autenticas em cartório ou simplesmente preparar para a viagem:

– Atestado médico;
– Procuração. É um documento que eu sugiro que vocês façam e deixem para alguém, é claro, de confiança. Porque, qualquer problema que der aqui, essa pessoa pode resolver pra vocês. Desde problemas simples como documentos de carro, como problemas mais sérios como banco e cartão de crédito internacional. Ninguém é obrigado a fazer esse documento; essa é uma sugestão minha mesmo, por experiência própria.
Lembrem-se: quem estuda em Universidade federal e precisa fazer matrícula pessoalmente, não pode deixar a procuração para um servidor público, se essa for a pessoa de confiança. Precisa ser alguém que não tenha relação com a Universidade para realizar trâmites desse tipo.

Abaixo, coloquei algumas especificações de cada país, alguns que eu sei, conheço ou já fiz, mas obviamente não vou colocar todos. Para procurar os que eu não coloquei, é só entrar no site do consulado do país no Brasil.
E lembrem: para estudar, todos os países exigem visto. Então, tu não vais te livrar da documentação. Exceto se a mobilidade for nacional, daí nem o passaporte é necessário.

– Se for Estados Unidos, então qualquer momento vai ser tarde para começar com o visto. Para começar, é preciso entrar no site do consulado e começar a preencher um formulário enorme (que tem tempo para expirar a sessão) e, no fim, marcar a data da entrevista. Vai gerar guia de pagamento (1 ou 2) que tu tens que pagar ou online ou em uma agência do citibank, com pelo menos dois dias de antecedência. E é necessário, para a entrevista, esperar um documento que vem dos EUA chegar na tua casa. Ele é chamado (e tu vai lembrar dele, acredite) DS-2019.

Dica 1. Já que vais fazer o visto de estudante, agenda também (precisa agendar!) o visto de turista, porque o visto só é feito em São Paulo, Recife, Rio de Janeiro e Brasília e se tu for de fora dessas cidades, é bom não precisar voltar a pagar passagem. Tu vais pagar 2 taxas, mas só uma passagem, só um pernoite em hotel, duas voltas de táxi, enfim. E, bem, quem for dessas cidades, evita filas quilométricas e horas perdidas lá.
Dica 2.  Leva documentos que comprovem a tua intenção de voltar ao Brasil: documento de carros no teu nome, se possuir, apartamento ou outro imóvel. Leva comprovante de matrícula e atestado da Univerdiade de origem aonde diz que tu é aluno regular e que vai sair para intercâmbio, mas que retomará as atividades; leva comprovante residencial, enfim, procura pensar em documentos que comprovem as tuas raízes aqui e os motivos que tu tens que te façam precisar retornar.

A entrevista não é chata, nem complicada. Meu conselho é tu chegares cedo na representação consular, para evitar filas. Sempre mostre-se respeitoso, sério e sem gritarias ou frescuras. Muito menos brincadeiras! Aqui, no Brasil, a gente brinca, joga uma piadinha de mal gosto ou algo assim e as pessoas relevam. Não faz isso no consulado, eles não gostam e pode ser muito difícil relevar.

– Alemanha: o visto é feito lá, na entrada. É só preparar a documentação e levar consigo.

 Canadá: o visto é realizado por correio. Tu entra no site do consulado, prepara a documentação pedida e envia por correio (SEDEX) para o endereço indicado. Lembra: teus passaportes vão junto, então precisa, necessariamente ser carta registrada. O passaporte com o visto colado nele volta pelo correio.
Ou, se tu tiveres pressa, pode ser retirado em São Paulo (se eu não me engano, a única representação consular no Brasil aonde pode ser retirado o visto pessoalmente).
Lembrar só que, para o Canadá, é necessário realizar uma consulta médica com um médico designado pelo consulado Canadês (existe uma lista com os cadastrados), que pode ser em outra cidade, que não a tua. Isso envolve, mais uma vez, gastos. E muitos médicos tem filas de até um mês, ou mais, de espera. Então marque logo!

– Espanha, Portugal, Itália: Não é preciso marcar entrevista. Tu acessa o site do consulado e tira a lista de documentos necessários. Essa lista de documentos tem que ser preparada para levar para o consulado, em um dia em que o consulado esteja aberto (lembrando que, geralmente, consulados europeus funcionam externamente das 9 da manhã até às 13 horas e não abrem à tarde) e entregar a documentação.
Eu, por exemplo, não tive uma entrevista elaborada, nem nada assim. Fui lá, com a documentação toda certinha, entreguei um documento por um, conforme ele ia me pedindo, e ele perguntou porque eu queria ir para a Espanha, eu falei que queria muito estudar lá e que gostava da Universidade; paguei os cerca de R$ 160,00; ele me deu o recibo e eu fui embora. Voltei menos de 30 dias depois com o passaporte e visto na mão.

Documentação necessária para quem vai fazer intercâmbio na Espanha (os documentos que eu tive que levar. Certifiquem-se se ainda são estes ou se mudaram):

1. Formulário de larga duración preenchido (formulário comum aos países Europeus), retirado do site
2. Atestado médico de boa saúde com assinatura autenticada em cartório
3. Comprovante de renda que prove que existem meios de de manutenção lá (para quem vai com bolsa do Ciência sem Fronteiras, por exemplo, o Termo de Concessão da Bolsa tem sido suficiente, porque atesta que o governo brasileiro financiará a viagem). Esse documento pode ser uma declaração dos teus pais dizendo que eles te passarão uma quantia mensal de X euros para a tua manutenção. As assinaturas deles precisam ser autenticadas em cartório.
4. Carta de aceitação da Universidad de destino
5. Passaporte
6. Fotos do tamanho estipulado no site do consulado
7. Certidão de antecedentes penais (ou a negativa, que chamam). É um documento retirado na Polícia Federal (tem online, mas para o visto não serve o online). A assinatura no documento precisa ser autenticada em cartório e é necessário que as autoridades espanholas carimbem o documento antes que o documento seja levado junto aos outros documentos para fazer visto. Pode ser feito em Porto Alegre. Antes, ele precisava ser enviado a São Paulo; hoje o serviço foi ampliada e é possível realizar em outras capitais. Procure se informar sobre isso. Eu, peguei o carimbo no mesmo dia que fiz o visto. Fui lá, carimbei, encontrei com uns guris (incluindo o Dyego Maranhão, que acabou por ser meu amigo), a gente dividiu um táxi e foi direto ao consulado e aí fizemos o visto.

Levar cópia autenticada em cartório de todos os documentos acima.
Chequem no site do consulado que outros documentos são necessários levar para o visto. Não vá ter que chegar lá e voltar por falta de documentos! Aqui está a lista de documentos que eu tirei do site do consulado há pouco mais de um ano atrás.

– México: É realizado em São Paulo. Até agora, não vi nenhuma notícia da possibilidade de ser feito em Porto Alegre, então é mesmo necessário ir à SP. Embora seja simples e tranquilo, o México exige uma lista muito grande de documentos, que precisam ser cuidadosamente preparados. Tenho uma amiga que foi para o México estudar por um semestre lá e fez todo esse processo, vou ver se ela topa escrever sobre a experiência dela aqui para o blog!

– Chile. É feito em Porto Alegre e precisa agendar entrevista antes e levar os documentos para a data marcada.

– Argentina, Bolívia, Paraguai e Uruguai: É feito na chegada. Apresente-se na Universidade e eles te ajudarão com os próximos passos.

Por que esse mito todo em volta do visto? Por que essa preocupação de o visto ser negado?
Bem, as autoridades do país de destino querem saber que tu não vais ir estudar e ficar lá no país pra sempre, sem data de volta, “roubando” os empregos e benefícios dos nativos. Eles querem ter certeza que tu vais voltar, que tem raízes aqui, que tem motivos para voltar. Então, facilite, mostre isso a eles. Leve os documentos que facilitem isso (Dica 2 – Estados Unidos), para qualquer país que tu fores, isso é válido. Isso dá segurança pra eles e faz com que eles confiem que tu só quer passar um tempo lá, gastando e girando o capital deles, mas que pretende voltar.

Não é horrível, não é de ficar com dor de barriga, não é tenso, não é nada demais! O visto é um procedimento simples, mas que proporciona uma segurança inimaginável para as autoridades dos países que vão nos receber. Gente, é só mostrar respeito, calma e levar todos os documentos certinho que é bastante difícil que eles neguem o visto de vocês. Se não tem nada a esconder, eles não terão o que achar, certo?

Seguro saúde e passagem, eles não aconselham que tu compres antes do resultado do visto sair, porque se o teu pedido for negado, o prejuízo é teu por já ter comprado a passagem e contratado o seguro. Então eu sugiro que tu faças o visto o mais cedo possível, quando ele ficar pronto, compre a passagem ida e volta e depois contrate o seguro saúde.

Por último…

Toda essa documentação acima é importante e não pode ser perdida de jeito nenhum. Eu sempre fico com cópia da documentação que entrego, porque ela pode ser pedida na entrada no país de destino. Então, eu levo ela toda comigo, na mala de mão, ou na bolsa, que fica comigo o tempo inteiro e não tem perigo de extraviar. Além das já citadas acima, sugiro levar também essas abaixo:

– O seguro saúde é obrigatório para a entrada no país (exceto pelos casos em que se pede que o seguro seja contratado no país, como tem acontecido pelo Ciências sem Fronteiras, aonde a Uni de destino é que vai providenciar o seguro) e é possível realizá-lo em agências de viagem ou bancos. Mas eu, particularmente, não sugiro seguros de viagem de bancos. Eles tem cobertura menor e, geralmente, não cobrem o assegurado pelo período integral da viagem. Os seguros de um ano custam entre R$ 700,00 e R$ 2000,00 nas agências de viagem.

– Passagem de volta. Na hora de entrar no país é imprenscindível ter a passagem de volta comprada!

– Carteira de vacinação. Cheque as vacinas necessárias para entrar no país de destino. E leve sua carteira de vacinação brasileira.

– Cópias dos documentos de identidade brasileira, CPF, título de eleitor.

O que é importante levar em conta também é o dinheiro. Com esse processo de visto e documentos em cartório (que são beem carinhos) não se gasta menos de R$ 700,00. É o mínimo, mínimo mesmo. E eu nem contabilizei a  viagem e hotel em São Paulo, no caso dos EUA e do México. Então é bom ir se preprarando…

#FimdaparteI

IMG_7154

Anúncios

2 comentários em “Documentação para intercâmbio! #1de2”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s